Rebento.


Naquele dia, a mulher que lia futuro e que explicava as estrelas, me disse que eu carregava um bebê que já vinha, que não tardava nunca não, de chegar, de ocupar: coração e barriga. Naquele dia, a mulher que lia o futuro, me entregou uma promessa tão gostosa, tão de espera... que eu espero até agora... dias depois, anos mais tarde... quase uma vida inteira.... e mais nada.
(21/04/2015)

Postagens mais visitadas