A cidade-poema.

Toda cidade é um poema. Poema encarnado... Vermelho. Em polaroid ou banda desenhada. Vários... Eita, São Paulo. Cidade-louca, cidade-muita. Que me abafa. Que me engole! Que aconchega, escapa e acolhe. Sempre. Tudo. Santa Sampa... de incêndios e fertilidade. Cidade que dá na tara uma vontade... de correr. De caminhar muito. Toda vez que sou Sampa, sou muito. E advinho tanto... cada acento e pontuação. Cada enxerto de canção... São Paulo... cidade-poema concreto... Cidade em verso aberto e rabiscado. Santa. Sampa. Super... puta. Muita. Tenho fé em ti, Cidade. Tenho muita... (e não se engane, playboy, que nas paredes caladas em cinza por você, nascerá um novo retrato! Nascerá arco-íris).

Comentários

Postagens mais visitadas