Quebra-cabeça.

Pra esquecer de você eu guardei meu sorriso, meu siso... que ficou sem janelas, quase um quebra-cabeça, um pedaço de chão que brotou ao meu lado. E nesse andar de uma vida, qual a coisa escondida... fiz, rasguei, chorei... foram versos farpados de ausência, obra, suor e bebida. Foi pensando na Lua, que anda sempre na espreita, atrevida, que desejei (tudo), - amor -, e até vírgula... qualquer palavra esquecida... ou o torpor de uma vida. Te guardei num lugar, te guardei sem querer, querendo você sem querer... uma escolha, quase ausente... que deixou uns caminhos, sombra, pedras, despesa e fotografias.


Comentários

Postar um comentário