Diário de um café na madrugada.


- Como você quer o café de hoje? Com mel? - Eu pergunto pra ela querendo saber de onde vem tanto esforço... tanto alvoroço.
- Quero igual ao que você faz todo dia... com muito amor, carinho e alegria. - E é aí que ela inflama, acarinhando o ninho como quem sofre, e prosa, e rosna e ama!
- Igual a todo dia... Não!! Esse eu não consigo... Raro eu faço com amor e carinho, porque na sua maioria eu salgo o almoço... e faço da rotina o que a gente faz todo dia.

Comentários