poética da saudade I



a poética do dia me encharca a alma de desejos... mas é seu beijo que acalma a minha fúria. e acrescenta alguma injúria, algum consolo, de quem não sabe nem se gosta. é sua voz que me encosta... que quase entende... e me acompanha, crescendo igual gente, ardente em mim feito um mapa, um nada. e de tanto deslize, aconteceu um desastre. (des)obediência... excesso. e tudo num sabor e numa fome que não cessão e não somem... mas sempre escapam. sempre altivos, malcriados. blindados na fobia e na poesia de quem não se esconde, nem se anuncia... nem pia. nem nada... 

Comentários

Postagens mais visitadas