Da arte de acreditar em bobagens.

E eu, achando que o

passado era coisa 
do passado... 

Achando que o 
amor era coisa 

verdadeira... 

E que saudade era
coisa passageira... 

Nossa... quanto

achismo por infinitas 
bobagens...


Nessa de acreditar 
em contos da 

carochinha... 

Morri de desgosto e virei

- sozinha - 

...uma triste poesia.

Co-produção: 
Mundo Antonio Obá e Mar Maíra Zenun

Comentários

Postagens mais visitadas