Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2014

Sobras poéticas na madrugada, que não se calam e nem se resolvem.

Para sempre.

Lavagem de beira de rio do arroz e das almas.

Das coisas que eu vejo.

POESIA SUADA DE BEIRA DE RIO (3)

POESIA SUADA DE BEIRA DE RIO (2)

POESIA SUADA DE BEIRA DE RIO (1)

SER POETA.

Búzios-Tarô.