POESIA SUADA DE BEIRA DE RIO (1)





Encontro de rio e perfume de flor de laranjeira,
são uma espécie de memória 
que a gente nunca que não esquece jamais nessa vida... 

É coisa que a gente sabe
que nunca que não se ausenta mais da gente, 
que nunca que não escapa mais, nunca mais... 

Ocupando cada vão do rio da nossa alma. 
Num tipo de fronteira que é. E não é. 
Ainda. Para sempre. E mais nada.

Comentários