Água de Menino.

Foi em feira de Água de Menino que aprendi a olhar de lado, a ver de banda, sem achatar a testa. Foi lá que aprendi a caminhar em beco e a saltar de riba. Água de Menino... de óleo de Palma. Feira de ruas pequenas. Onde o Feitiço, faceiro, encontra abrigo e vadiagem nos caminhos pela Cidade-Feira, de rio... Cidade-Oxúm, de mar... cidade-beira, beirando a estrada... cidade... e mais nada.