Borders.

Ontem falamos de fronteiras... falamos de bairros invisibilizados... falamos de sexo e coragem... covardia e bondade. Ontem falamos um mundo de coisas, um mundo inteiro de coisas... e viajamos cada centímetro de chão dessa terra. Propriedade e falências. Falamos da impossibilidade de se ter ética em uma sociedade como essa...


Mas hoje... hoje te prometi um poema. Um poema sobre a nossa vontade de mudar o mundo, de sermos melhores, de ganharmos dinheiro fazendo o que se gosta... Hoje, ao te prometer um poema, também te prometi um mundo de coisas, um mundo de histórias e te enchi com palavras de cobrança e sorte. Te prometi um poema feito no tempo do banho de um homem honesto. De um homem de família, sereno e calado e soldado...

Ontem debates. Hoje poemas. Amanhã? Amanhã já não sei... amanhã é segunda, meu bem.



Postagens mais visitadas