Ballet.

Ou Receita para Apanhar Serenidade.

Para encontrar brisa mansa… respirar profundo…

apanhar serenidade, e ter vontade, de novo…
é preciso… antes de tudo…
Encher-se de água até a alma… encher-se de calma.
Aos poucos… e aos tantos. Inteira, e sem pressa.

Depois desta espera, tanta, desta demora… muita…
é preciso ir-se indo de tudo… aos prantos.
É preciso abraçar a água da banheira.
E ir fazendo carinho… muito carinho,
carinho largo pelo corpo… de corpo inteiro.
Fazer carinho para achar novos caminhos...
Descanso! E mais nada.

E como que numa descoberta insana,
atroz… intensa mesmo…
é importante deixar-se misturar às pétalas,
todas elas… num dançar constante, pungente...
é importante deixar-se ir indo...

… nesse ballet das águas rosas.
















obs.: ensaio fotográfico BALLET DAS ÁGUAS ROSAS, com performance de Luzia Gomes.



Postagens mais visitadas