Travessia.

Hoje faz... um ano.
Faz um ano inteiro,
faz 365 dias...
mil semanas... muitas delas,
muitos dias...
Que sai da minha casa,
que desfiz dos meus bagulhos,
e vendi as minhas tralhas.

365 dias... desde |em| que...
Desapeguei da vizinhança,
despachei minhas lembranças,
desliguei-me de alguns laços...
E dos traços com a cidade que eu amo,
porque me fez ficar poeta... cidade-Brasília.

365 dias em que desfiz de um tudo...
Tudo, tudim mesmo... e de fato.
Tudo é muito e mais um bocado.
Sendo eu. Pura gama. Ventania.

Hoje faz um ano que...
Coração carregado,
carregada de malas,
apinhada de esperança,
de versos e de livros e de tralhas...

Um ano inteiro faz,
um ano de vida... faz,
em nossas vidas... faz...
Que cruzei aquele mar tão infinito,
tão bonito aquele mar, tão bonito...
Pra poder ficar contigo.
Pra poder ficar na sua.
Juntim. Grudada. Pra sempre e pra tudo.
Ser casal e planejar vida.

Faz hoje um ano, faz,
que larguei daquela vida,
pra juntar-me a sua vida...
No seu país,
na sua cidade,
no seu bairro,
na sua vizinhança...
Entre os seus amigos e amigas,
entre as suas tralhas,
e lembranças,
e rotinas e memórias e histórias e famílias e dramas
e glórias.

Faz um ano hoje,
faz um ano inteiro -
feito em muitos atos,
de muitos beijos,
muitos lampejos...
e surtos sagrados,
de nós pa-ra nós...
Nós dois,
duas crianças,
adulteradas,
dois namorados.
Enrosco de perna na madrugada!

Um ano inteiro, um ano enorme,
mas que passou voando,
e que existiu no susto.
Da convivência. Da descoberta.
Um ano inteiro que só soube ser...
Rio. Um rio que foi rápido,
e que se (des)fez em água.
Muitas delas.
Águas e peixes e beiras e espinhos e partos.

Nascer de novo, depois de um ano amarelo,
em suor e cogumelos. É coisa pra quem tem fé e amor e juízo.
O ano inteiro. Como é preciso - impossível.
Faz 365 dias desde que eu vim...
Pra ficar. Pra morar. Pra pra pra.
Contigo.

Um belo ano, foi.
Ano completo e exato, foi. E eu sinto.

Que hoje faz um ano inteiro,
em que juntei-me contigo,
pra caminhar-me contigo,
e aprender-me contigo,
e vivenciar-me contigo,
e superar uns perigos,
e desejar seu abrigo...

Um ano faz. Hoje faz.
Um ano inteiro. E que venham mais.
Sendo eu e tu trovoada,
eparrêi,
pra essa bela enxurrada,
eparrêi,
que é andar de mãos dadas...
eparrêi.

Andar junto é andar em nós e de estradas.
Complicadas.

Porque eu sinto tesão é no compartilhamento,
você sabe. E no afeto. Você sente.
Por nós e pra sempre!

É que hoje faz...
Um ano fez. Hoje faz.
Um ano inteiro. E que venham mais!
Pra sempre. E pra mais. Enquanto for do bom e do bem.
Asé! Èpa Babá!! Nossas vidas. Asé! Èpa Babá!! Nossas memórias...
Nossa história, Kódé... nossa história... e mais nada.

Postagens mais visitadas