O sapo.

 
sapo disse para a sapa, em disparado disparate:

- Eu erro, tu erra, nós erramos...!
  Eita, verbo consistente.
  Eeeeeita, comunhão. rsrs

E seguiu, dizendo de novo:

- Eu erro, tu erra... nós erramos.
  Então, eu te abraço.
  Eu te aperto em minhas pernas...
  
  [suavemente].
  
- E você acha que assim a gente fica contente?
  Sapo doido... displicente! Fim de papo pra gente. 

Disse a sapa... disse a sapa, bem brava.