Mudança...an-Dança.


na esperança de saber por onde ir, eu sigo em ti vento que sopra... ... eu sigo a horta que plantei no meu quintal... ervas daninhas e um bocado de sal... ervas que curam qualquer temporal. na esperança de saber qualquer coisa, na esperança besta de uma vespa, soprei que nem água e virei coisa alguma... virei poeira... estrela... sujeira... besteira. na esperança de uma vida inteira, sou pura ansiedade, pura beira a vida inteira... abismo... instante... colheita. pra quem me diz: quando fala ou quando cala... eu sonho sempre! eu vivo aérea...

(02/09/2011)

Postagens mais visitadas