Serra, saudade e mar.


Ele diz: ... poesia é pé-de-vento... sopra na gente por dentro, de repente... sem promessa nem aviso. só chega... e desata... (quase) tudo... igual saudade.

Ela responde: verdade! ... poesia é igual traquinagem... basta querer que a vontade vira logo soneto, sonata... serenata em dia de Lua cheia... em dia de Lua nua. poesia é saudade por saudade... palavra por palavra... que desagua. ela e um sem mundo de coisas... sem casas... mil dias... mil estradas... e mais nada!

Postagens mais visitadas