po-EMA de Ca-minho.


O poema nasce em mim... como um silêncio, (um) vazio (...)de porta aberta pra calçada. O poema nasce em mim... como um sorriso nublado, (de) puro azul em dia de chuva cinza... Ele nasce em mim, e me brota da alma... sem limites... (e) sem sentido. Somente rima. (Somente o desassossego... a ventania. Somente eu e a chuva. Somente.). E mais nada.

Postagens mais visitadas