O mito da verdade eterna.


"Guardo dentro de mim cheiros afoitos da Toscana antiga, cheiro dos telhados que caminham pelo céu, enfeitados de umas ervas das mais daninhas... guardo dentro de mim todo o manjericão e um girassol. guardo cais, muitos sais e outros ais. e Quero, nessa sede imensa, de amor eterno, conhecer os mundos... e construir caminhos... juntando o que guardo dentro de mim e as pedras que me aninham... pra aprender a ouvir o vento que chora, suave e triste, no meu ouvido, e bem baixinho." (16/07/11 - 12/05/12)

Postagens mais visitadas