Saudade.

o enigma de uma dor
é fazer em tom cerrado,
o que faz o suicídio...
nos levando pro outro lado.
desse jeito, qual serpente,
inaugura noutra fonte,
um sorriso, um afago, um pedaço de noite...

e a vida, que já era escassa,
e já jazia faz é tempo,
se afoga e se rasga...
no vento.

é nesse jeito ingênuo,
de falar da cidade...
que ele peca, pequena...
alegando saudade.

Postagens mais visitadas