Homenagem ao "Conto da Ilha Desconhecida"


Em agosto, seu gosto arretado, esbarrou no meu afago... e eu fiquei de lado, sem fala, sem nada... só espiando sua desobediência, sua falta de pelos. E tudo que for agora, saliva na minha alma... sua ausência, sua memória... tudo de um tanto tão profundo... que o remédio é esquecer de tudo, e estudar pra prova. (24/10/13)

Postagens mais visitadas