Ôrora.


Sobre a aurora de uma vida - vida que nasce de outra vida -, sei que a Ôrora que vem, vem pelos ventos do desejo e da acolhida ... e que é a alma querida dessa moça nascida das águas da vida... que banham as ancas guerreiras de muitas mulheres, amadas paridas ... todas lindas, todas elas corpos rijos, santas bárbaras... delicadas, feito flor de maio e jardim... Aposto como ela nasceu linda. Secretos jardins de rosas, violetas, begônias e margaridas... E será tudo mesmo como o vento, sempre... vento de Iansã noutros tempos... um ventre rebentando um rebento - nascimento de água, soluço, saúde, dengo e contentamento ... muito amor ... amor antigo, guardado, cultivado, pronto pra ser colhido. A chegada desta moça é feito sol que nasce todo dia ... trazendo alegria, muito sonho, muito alento ... tempo ... muita vida nessa vida da nossa Ôrora querida. O que espero desta minha mesma vida - esperando poesias e assobios de pardais e cotovias -, ... o que espero são bons momentos, bons ventos, bons passos e muito tempo ... pra que eu possa conhecer Ôrora e te regale uns sorrisos, uns abraços, uns versos partidos ... de tia distante, que vive distante... do outro lado do Atlântico. Mando beijinhos, Ôrora querida... beijinhos de quem já ama sem nem ter conhecido.

* poema de nascimento para quando Aurora chegou.

Postagens mais visitadas