Amor de passarinho.


  ... ou Certidão de (des)casamento 
Primeiro, perdoei a mim, por te amar tanto ... Depois, perdoei a ti, por esconder de mim seu motivo de pranto ... Mas, agora, perdoa o meu amar, perdoa a minha pressa, que a paixão foi embora ... depressa. É que o meu amor é passarinho livre, é vento forte e inocente ... ele fugiu pra bem longe ... pra bem longe da gente. E ele agora, o passarinho, voa livre, voa alto e sem destino ... e sozinho, ele é só vontade ... só saudade ... sozinho. O que ficou de mim ao seu lado, foi um carinho imenso, minha amizade eterna ... O que ficou foi um desejo quase inverso, mas completo, de te ter, livre, feliz, eterno ... vivo e disperso. O que ficou foi meu carinho de amor recolhido ... e muito desejo de um novo amor sem segredos, sem descobertas... e sem medos.

Postagens mais visitadas