Nada.

Sem que eu pedisse nada, eu só estava ali, olhando o mundo... ela veio e disse:

"quer saber da minha história? quer saber de onde Eu vim? quer saber? não pergunta... eu só conto quando alguém não pergunta... é que Eu fui feita na lama, do resto e sem ventre... Eu sou aquela que chegou com o vento e o tempo, contado os dias, todos, pra chorar mágoa de vida dura... Eu sou a pressa, e a presa... e nesse conto, Eu desacreditei e esqueci das horas... Eu fui toda aurora quando nasci... mas, não completei os dias, não arrisquei viver sozinha... e enlouqueci. uma vez Eu fiquei pra história... desesperei. foi num instante simples, de festejo, onde tudo que Eu via vôo... desde então, Eu me perdi da poesia, me perdi das tardes frias... me perdi..."

Meu ônibus chegou, eu fui embora. Mas, toda vez que eu sinto medo, eu lembro... da mulher do tempo.

Postagens mais visitadas