Feira VI.

Somos todos tanta coisa, tanto tempo... Somos suor e tormento, água, céu e vento. Somos, quando queremos, pura poesia. Resistência, presença, fortaleza e respeito. Quando não queremos, somos estúpida maquinaria. Racistas, perversos, famintos. Somos um todo infinito... Somos o que já foram, um dia. Poesia poesia poesia. Somos somente saudade... Ou a falta de afeto e bondade. Somos perversos, presença, quereres. Somos um bocado de seres primários, primitivos... seres ordinários. Somos elitistas, fascistas, otários. Somos mais o que podemos, sendo que poucos, muito poucos, são o que de fato querem... Somos somente promessa. Vertigem, vergonha e verdade. Somos uma mentira de sociedade. Somos um mundo de gente sem mente. Macacos, focas, girafas, veados, baleias, carniças. Somos um zoológico enviesado. Às vezes ema, às vezes sapo. Somos o caralho a quatro. Mas, pra resolver mesmo, pra pegar no pesado, hoje somos somente #,#,#,#. E mais nada.

Postagens mais visitadas