Para sempre.















{eu SEREI, daqui para adiante,

o monopólio em pedaços...
em memória e etérea.}
[...]
um tipo de força impune e sem jeito. 
[...]
No abandono de quem ama...
No monopólio do drama.
[...]
Só vertigem e saudade.
Só isso, e mais nada.

Postagens mais visitadas