Deserto na garganta.


Hoje acordei com o deserto na garganta.
Vendo tudo embaraçado.
Sendo alguém que quer ficar.

Hoje acordei em Timbuktu.
Com medo das estradas que andam.
Da família que escapa.
Do fuzil na minha porta.

Hoje acordei sentindo o Hamatan.
Que encobre a minha vista.
Acordei com sede e cansaço.

Acordei assim. Sem jeito.
Mas vou ao mercado de Ouaga, comprar cabrito, para ver se tudo passa.



Postagens mais visitadas